fbpx

PSOL envia carta ao Secretário-Geral da ONU para desmentir discurso de Bolsonaro

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados enviou na última quarta-feira (22) uma carta endereçada ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, para desmentir cada uma das mentiras ditas por Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral da ONU.

“Bolsonaro usou as Nações Unidos para advogar por um falso tratamento precoce para a covid-19. Além de envergonhar a tradição diplomática brasileira e desrespeitar a ONU, Bolsonaro insultou milhões de famílias quer perderam entes queridos”, diz um dos trechos da carta redigida pela líder da bancada do PSOL, Talíria Petrone.

Primeiro chefe de Estado a discursar, Jair Bolsonaro usou dados distorcidos para exaltar a política ambiental de seu governo e o desempenho da economia brasileira durante a pandemia, além de defender o chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19, que já teve ineficácia cientificamente comprovada.

Entre as tantas mentiras ditas por Bolsonaro ao apresentar um Brasil diferente do país real, ele disse não há corrupção em seu governo, apesar dos escândalos de rachadinhas e propina para a compra de vacinas, e afirmou que a legislação ambiental brasileira é exemplo para o mundo enquanto tenta fragilizar mecanismos de proteção ao meio ambiente e números de queimadas e desmatamento batem recorde.

No Pantanal, houve recorde de queimadas em 2020. Um levantamento divulgado neste mês aponta que 17 milhões de animais vertebrados morreram por causa das chamas no bioma no ano passado.

Bolsonaro também disse que as manifestações de apoio ao seu governo no último 7 de setembro foram “as maiores da história do país”, o que é mentira, e se colocou contra a exigência de vacinação para viajar e participar de eventos, o que já é comum em todo o planeta desde muito antes da Covid-19.

O presidente seguiu em sua defesa do “tratamento precoce” contra a Covid-19 e disse que “a história e a ciência saberão responsabilizar a todos”. Isso na semana seguinte à divulgação do escandaloso experimento bolsonarista realizado pela Prevent Senior que usou pacientes de cobaia desse tipo de tratamento e maquiou o número de mortes decorrentes desse uso indiscriminado de medicamentos já comprovadamente ineficazes.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a cloroquina não deve ser usada como forma de prevenção, a Associação Médica Brasileira (AMB) diz que o uso de cloroquina e outros remédios sem eficácia contra Covid deve ser banido e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) diz que a cloroquina não tem efeito e deve ser abandonada.

Além de tudo, Bolsonaro é o único dos líderes do G20 (grupo das 19 principais economias do mundo e a União Europeia) presentes a dizer que não tomou a vacina contra a Covid-19.

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
7,237SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas