fbpx

Resolução do PSOL: Fora Camilo Cristófaro, cassação já!

O Brasil é um país forjado na escravização de negras e negros que foram brutalmente  retirados de seu país em condições desumanas. Mesmo depois de 135 anos de abolição da escravidão, o Brasil segue sendo um país racista que faz com que 76,5% das mortes violentas sejam de pessoas negras. A desigualdade se reflete em todos os aspectos sociais, inclusive na política brasileira, sendo que as pessoas negras eleitas no Brasil representam menos de 32% dos políticos eleitos.

Mesmo com todas essas limitações, a luta antirracista – fruto de anos do movimento negro –  têm colhido frutos, sendo o PSOL parte fundamental no avanço da luta e na eleição de mulheres negras. Em 2020, o PSOL em São Paulo elegeu a maior bancada de mulheres negras na Câmara Municipal de São Paulo: Luana Alves, Érika Hilton e Elaine Mineiro, contando posteriormente com a entrada da companheira Jussara Basso. No entanto, sabemos que a eleição não muda o mundo e o racismo permanece sendo um fato na vida cotidiana da população negra. E não é diferente nos espaços institucionais: extremamente brancos, masculinos, machistas e obtusos à negritude. Prova disso, foi o pronunciamento do vereador Camilo Cristófaro (Avante) que no dia 3 de maio de 2022, durante uma sessão híbrida da CPI dos Aplicativos disse: “Não lavar a calçada… É coisa de preto, né?”.

Bravamente, a vereadora Luana Alves, presente na sessão, pediu para interrompê-la e tomar as devidas providências jurídicas e administrativas entrando com um pedido de cassação do mandato do vereador. Graças à pressão do movimento negro e do avanço de consciência que a luta antirracista tem proposto à sociedade, o processo avançou na Corregedoria da Câmara e no próximo dia 19/09 será votado em plenário. Esse processo é histórico, pois trata-se do primeiro caso de cassação de um político por racismo no país, quiçá no mundo. Nunca vimos nenhum político perder um mandato por racismo, e sabemos que o Brasil é um país composto por muitos políticos racistas.

O PSOL está sendo parte central desse processo, protagonizando um evento histórico e sendo parte fundamental no avanço da luta antirracista. Parte disso, é a prova de que para nós não basta apenas ocupar os espaços de poder, mas sim que é necessário mudar as estruturas racistas e exploratórias da nossa sociedade. Dia 19 faremos história e é papel do PSOL apoiar esse processo de luta em defesa de todo povo negro.

Racismo não é brincadeira!
Fora Camilo Cristófaro, cassação já!

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
7,543SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas