fbpx

Conferência da Amazônia tem programação definida entre os dias 19 e 21 de maio em Belém (PA)

Entre os dias 19, 20 e 21 de maio, o PSOL realiza a Conferência da Amazônia em Belém, capital paraense que pleiteia receber a COP-30 em 2025 e é governada pelo partido com o prefeito Edmilson Rodrigues.

O evento acontecerá no Hotel Princesa Louçã (Av. Presidente Vargas, 882 – Campina) e será restrito aos militantes do PSOL e à participação de movimentos sociais convidados e terá como foco a discussão programática do partido com a agenda ambiental no centro da estratégia socialista.

O PSOL deve ser protagonista no necessário processo de “amazonizar” a esquerda brasileira e colocar a questão climática no centro da estratégia da luta anticapitalista. Além de governar a maior cidade amazônica, que é Belém do Pará, com o prefeito Edmilson Rodrigues, a Ministra dos Povos Indígenas do governo Lula é Sonia Guajajara, também do PSOL.

Confira abaixo a programação na íntegra da Conferência da Amazônia
  • Sexta-feira (19) às 18h – Mesa de Abertura
Célia Xakriabá, deputada federal do PSOL/MG
Edmilson Rodrigues, prefeito de Belém (PA)
Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL
Vivi Reis, Secretária de Movimentos Sociais do PSOL
Lívia Duarte, representante da bancada estadual do PSOL/PA
Além de saudações de parlamentares federais e movimentos sociais presentes
  • Sexta-feira (19) às 19h30 – O Futuro é Ancestral: a Amazônia como garantia de futuro

Sônia Guajajara, ministra dos Povos Indígenas do Brasil
Edmilson Rodrigues, prefeito de Belém (PA)
Vivi Reis, deputada federal pelo PSOL entre 2021 e 2022

  • Sábado (20) às 9h – Território e territorialidade: conflitos, gestão participativa e políticas públicas

Maria Leusa Kabá Munduruku
Principal liderança política do Povo Munduruku do Alto Tapajós e coordenadora da Associação de Mulheres Munduruku Wako Borūn.

David Pereira Junior
Intelectual e ativista quilombola de Alcântara (MA). É pesquisador da Nova Cartografia Social da Amazônia desde 2005 e assessor Pro Bono dos Movimentos Quilombolas de Alcântara.

Antonia Cariongo
Liderança quilombola, militante do movimento negro, defensora de direitos humanos e ecossocialista. É da direção nacional do PSOL e coordenadora do Setorial Ecossocialista.

  • Sábado (20) às 14h – O Brasil e os desafios na luta ambiental

Sônia Magalhães
Professora do Instituto Amazônico de Agriculturas Familiares (Ineaf) da UFPA, coordena pesquisas sobre camponeses, povos tradicionais e políticas públicas na Amazônia.

Bartô Macuxi
Artista do povo Macuxi, concorreu ao Senado em Roraima em 2022 com a mais exitosa campanha da história de um indígena ao cargo no estado.

Geovane Lima
Coordenador do Movimento Social Força Popular e membro da direção nacional do PSOL, é filho de lavradores, mora em Santa Luzia (MA) e é militante social desde 2007.

  • Sábado (20) às 18h30 – Amazônia na fronteira do capital: financeirização da natureza e a transição ecossocialista

Junior Hekurari Yanomami
Líder indígena, representante do Povo Yanomami, Presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’Kuana e Presidente da Urihi Associação Yanomami.

Camila Moreno
Pesquisadora, participa desde 2008 das negociações da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas como observadora e integra o Grupo Carta de Belém.

Fernando Carneiro
Vereador do PSOL em Belém (PA), presidente da Comissão de Direitos Humanos e membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente. Já foi candidato ao governo do Pará em 2010 e 2018.

  • Domingo (21) às 9h – Imperialismo na Pan-Amazônia: a COP e as propostas do capital

Bruno Malheiros
Professor do curso de Licenciatura em Educação do Campo da UNIFESSPA e da Pós-Graduação em Geografia na UEPA, coordena o Laboratório de Estudos em Território, Interculturalidade e R-Existência na Amazônia (LaTierra).

Lívia Duarte
Mãe, negra, militante socialista e feminista. Deputada estadual pelo PSOL, já foi vereadora de Belém e a primeira presidenta negra do diretório municipal do PSOL. Presidente da Comissão de Cultura e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALEPA.

Tânia Chantel
Coordenadora da Caca de Maria, instituição que garante acolhimento e atendimento psicológico, social e jurídico a mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
1,895SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas