fbpx

Fernanda Melchionna chama família Bolsonaro de “bandidos”, PL sente o golpe e pede cassação de deputada do PSOL

O Partido Liberal (PL) apresentou nesta semana um pedido de cassação do mandato da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados após a parlamentar chamar a família Bolsonaro de “familícia” e de “bandidos” em discurso na Comissão de Segurança Pública ainda em dezembro de 2023.

Na ocasião, a deputada do PSOL se posicionou contra o projeto que buscava incluir o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na lista de organizações consideradas terroristas.

A parlamentar disse que à época que a lista era “escandalosa” e excluía os “escritórios do crime” e “matadores de aluguel que já mataram centenas de pessoas recebendo rios de dinheiro”.

“Inclusive, tinham amizade com o chefe dessa turma aqui da comissão, que é o Bolsonaro, que deu medalha, presente e homenageou um dos maiores bandidos do escritório do crime”, disse Fernanda em sua fala.

“Jair Bolsonaro e seus quatro filhos estão, ou estiveram, todos envolvidos em investigações por diversos crimes. Lavagem de dinheiro, tráfico de influência, ‘rachadinha’, roubo de joias, falsificação de carteira de vacinação, tentativa de golpe de Estado, etc. A lista é imensa”, aponta Melchionna após receber a notícia do pedido de cassação de seu mandato.

“Além disso, há fortes indícios da ligação da família Bolsonaro com as milícias do Rio de Janeiro. Como por exemplo, o fato de que a ex-mulher e a mãe do miliciano Adriano da Nóbrega receberam salários do gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro”, enfatizou a deputada.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), rapidamente enviou a representação ao Conselho de Ética, com celeridade que não é vista quando os alvos dos pedidos de cassação são parlamentares da extrema-direita.

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
1,896SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas