fbpx

Mônica Benício (PSOL) sofre ameaça de “estupro corretivo” em ataque a sua orientação sexual

Mônica Benício, vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, registrou queixa-crime na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância nesta terça-feira (22) para denunciar graves ameaças de “estupro corretivo” que recebeu em seu e-mail.

LEIA MAIS: Nota do Diretório Municipal do PSOL Carioca em solidariedade a Mônica Benício

Na mensagem, o agressor diz que esta seria uma forma de “tratamento para reversão da sua orientação sexual”. Monica é lésbica e viúva da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018.

A mensagem foi enviada em agosto, mês da visibilidade lésbica, quando a mandata da vereadora realiza diversas atividades para combater a lesbofobia e o preconceito e pautar o tema na sociedade.

Na ameaça, o criminoso ainda afirma saber o endereço da parlamentar e se oferece para ir até a casa dela fazer uma “demonstração sem compromisso”.

“Eu não queria interromper a programação dos nossos 10 dias de ação sapatão, que estão sendo lindos e revigorantes, por sinal, para dar esse tipo de notícia. Mas em uma sociedade misógina e lesbofóbica, não há trégua. E me recuso a me calar diante da violência”, disse a parlamentar.

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas