fbpx

PSOL repudia adiamento de votação da manutenção da prisão do deputado federal Chiquinho Brazão

Recebemos com indignação a decisão do colégio de líderes de adiar a votação em relação à manutenção da prisão do deputado federal Chiquinho Brazão nesta semana na Câmara Federal. O discurso da fragilidade processual só interessa aos milicianos.

A manutenção da prisão preventiva é primordial:

1) foi noticiado que familiares dos Brazão já viajaram para os Estados Unidos – e é fundamental ressaltar que a família Brazão possui domicílios no exterior, como é atestado na decisão do Min. Moraes. Ora, pode-se presumir que os próximos seriam o Dep. Chiquinho Brazão e seu irmão, Domingos;

2) há farta documentação mostrando que os Brazão, nos últimos seis anos, obstruíram todas as tentativas de chegar à verdade sobre o assassinato de Marielle e Anderson;

3) Pode se resumir o grau de envolvimento do Deputado por um excerto da representação da PF: “Em outras palavras, haveria crime sem Ronnie, Élcio, Macalé e cia, mas não haveria crime sem DOMINGOS, CHIQUINHO E RIVALDO, mentores e líderes desse grupo criminoso.

O país assistiu em choque o assassinato político de Marielle Franco em 14 de março de 2018. Seis anos depois, finalmente tivemos respostas sobre os mandantes e a motivação.

A manutenção da prisão preventiva, como reiterado, é incontestável. A Câmara precisa dar uma resposta célere e contundente à sociedade brasileira, sendo fundamental a votação pela manutenção da prisão do mandante intelectual do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Executiva Nacional do PSOL
27 de março de 2024

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
1,895SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas