fbpx

Record divulga fake news sobre Prefeitura governada pelo PSOL em Belém (PA)

Com um grande número de condenações na Justiça por notícias falsas, a Rede Record, emissora de televisão que tem o bispo Edir Macedo como proprietário, virou seu alvo para o governo do PSOL em Belém (PA), divulgando mais uma fake news para tentar desgastar a imagem da gestão municipal.

A matéria tendenciosa tem o objetivo de alimentar os perfis que atuam no submundo da desinformação e propagam ódio nas redes sociais. Qualquer apuração jornalística exige ouvir todos os lados envolvidos, coisa que não ocorreu.

A verdade é que a servidora Nayra Rossy é concursada da rede municipal de educação de Belém desde 2013, e da rede estadual do Pará desde 2019, o que é lícito e permitido por lei. A compatibilidade de jornadas entre SEMEC e SEDUC é mantida desde que ingressou na SEDUC.

Como servidora e tendo mestrado e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Federal do Pará, Naýra teve direito aos reajustes concedidos para toda a categoria na gestão de Edmilson, incluindo aumento de 65% e gratificação de 35% para todas as professoras e professores com titulação de doutorado. Ela ainda faz parte do Conselho de Administração da Companhia de Tecnologia da Informação de Belém por sua capacidade técnica, e não há nenhum impedimento para isso, conforme parecer da Procuradoria do Município e entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em resumo, não há irregularidades ou ilegalidades administrativas provenientes de ação ou omissão. Não existe justa causa já esclarecida em inquérito administrativo. E a Prefeitura de Belém, neste e em todos os questionamentos sobre irregularidades, já elucidou tudo e reafirmou seu firme compromisso com a transparência e ajuste de questões administrativas.

Não à toa que Belém alcançou o índice de transparência pública de 78,99%, em 2023, bem acima da média nacional de 59,57% entre os poderes executivos, segundo o Radar da Transparência Pública.

O que a rede do bispo Edir Macedo faz é criminoso. Além de mentirosa, a notícia é extremamente machista e misógina, já que resume a servidora, com 10 anos de carreira, a “namorada do prefeito”, ignorando sua qualidade técnica e intelectual.

O PSOL, através de sua direção no Pará, repudia essa forma vil de ataque aos direitos das mulheres por poderosos órgãos de comunicação do Pará. Não iremos nos intimidar diante das inverdades e coerção de quaisquer estruturas que promovam o ataque aos direitos das mulheres.

Cadastre-se e recebe informações do PSOL

Relacionados

PSOL nas Redes

469,924FãsCurtir
362,000SeguidoresSeguir
515,202SeguidoresSeguir

Últimas